18 princípios do Banco Garantia – Os princípios de uma vitoriosa cultura de gestão do Brasil

No último post falei um pouco sobre o legado que Jorge Paulo Lemann e a cultura do Banco Garantia deixaram para o meio empresarial brasileiro.

Segue abaixo, como complementação, a lista completa dos 18 princípios do Banco Garantia referida no post anteior.

Os alicerces de uma cultura campeã  – Fonte HSM Management

1. Um sonho grande e desafiador faz todo mundo remar na mesma direção.

2. O maior ativo da empresa é gente boa, trabalhando em equipe, crescendo na medida de seu talento e sendo recompensada por isso. A remuneração tem que estar alinhada com os interesses dos donos.

3. O lucro é o que atrai investidores, gente boa e oportunidades, mantendo a máquina rodando.

4. Foco é essencial. Não dá para ser ótimo em tudo. É preciso concentrar-se no essencial.

5. Tudo tem que ter um dono, com responsabilidade e autoridade. O debate é bom, mas, no final, alguém tem que decidir.

6. Bom senso é  tão bom quanto grandes conhecimentos. O simples é melhor que o complicado.

7. Transparência e fluxo de informações facilitam decisões e minimizam conflitos.

8. Escolher gente melhor do que si mesmo, treiná-las, desafiá-las e mantê-las é a principal tarefa dos administradores.

9. A liderança por exemplo pessoal é vital, tanto nas atitudes heróicas como nos pequenos gestos do dia-a- dia.

10. Sorte é sempre resultado de suor. Tem que trabalhar muito, mas com alegria.

11. As coisas acontecem na operação e no mercado. Tem que gastar sola de sapato.

12. Ser paranóico com custos e despesas, que são as únicas variáveis sob nosso controle, ajuda a garantir a sobrevivência no longo prazo.

13. A insatisfação permanente, a urgência e a complacência zero garantem a vantagem competitiva duradoura.

14. A inovação que agrega valor é útil, mas copiar o que já funciona bem é normalmente mais prático.

15. A discrição corporativa e pessoal só ajuda. Aparecer, só com objetivo concreto.

16. Aperfeiçoamento, melhora e educação são esforços constantes e devem integrar nossa rotina.

17. Nome, reputação e marcas são ativos valiosíssimos que se constroem em décadas e se perdem em dias.

18. Malandragens e espertezas destroem uma empresa por dentro. A ética compensa no longo prazo.

É interessante notar como os princípios refletem a maneira simples e orientada a resultados característica dessa cultura de gestão (ilustrados pelos princípios 3, 4, 5 e 14), assim como sua preocupação Ética 9 ( princípio18) e com a gestão de alguns intangíveis (princípio 17). Também fiquei impressionado com o fato que 9 dos princípios são relativos às pessoas.

Por Thiago de Assis
Fonte HSM Management 66 janeiro-fevereiro 2008

Autor: Thiago de AssisPor Th
Esse post foi publicado em Gestão e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s